AÇÕES E CONSEQUÊNCIAS – Por José Nilson

José Nilson é Servidor Público Municipal e cristão
José Nilson é Servidor Público Municipal e cristão

Livre nele e por ele, que nunca falou em nome de nenhum grupo religioso, apenas anunciou um Reino, declaro que meu objetivo é dá ao pessoal um pouco de sanidade mental, com o desejo que se libertem dos sistemas e vivam no espírito de Jesus.
Desta feita, esclareço que o Espírito de Jesus desmascara o mundo. Jesus tinha que ir embora para que o espírito viesse. Jesus disse: Quando o espírito vier, ele vai desmascarar o mundo, mostrando quem é o pecador, quem é o justo e quem é o condenado. Quem é pecador? Aqueles que não acreditaram em mim. Quem é o justo? Sou eu. Quem é o condenado? É o príncipe deste mundo, que já foi condenado. Leia João 16, 7 – 11.
Na primeira carta de João, capítulo 2, versos de 15 a 17 está escrito: Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo: A cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens, não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Lembrando que existe um mundo segundo o Espírito de Deus e outro segundo o espírito humano.
O mundo segundo Deus, o qual devemos amar é a criação, o cosmo, cada um de nós, que existe segunda a expressão de Deus, santo e limpo, onde a lei é o amor. O mundo segundo os humanos, o qual não devemos amar, são os movimentos e ações carregados de egoísmo, concupiscência; cobiça de bens materiais, prazeres sensuais e oportunismo. Uma irmã me perguntou: Onde está este mundo que devo odiar? Eu disse: Este mundo sou eu, é você. Só pode ser encontrado em nós e não fora de nós. O mundo humano vai crescendo e fortalecendo pela pratica da obsessão de querer cada vez mais, um animal insaciável que habita dentro de nós, que é voltado para o que é «mostrável», um exibicionismo desgraçado.
Observe tanto os adultos, adolescentes e as crianças quando possuem algo que os outros não tem, ou se encontram em cargo ou posto de destaque, como se enchem de soberba, se sentem maiores, cheios de poder. Esse é o espírito de Lúcifer que reina no mundo paralelo dos humanos, o querer ser visto, de fazer o que quer, ser adorado, desejado, buscado, valorizado, para fora é só aparência, para dentro tesão saltitante de desejo imoderado de bens, honras e destaque. No mundo dos humanos ninguém quer ser calda, más cabeça.
Enquanto isso Jesus propõe o mundo de Deus, nos convida a sermos servos insignificantes e a ocuparmos os ultimos lugares.

– Por uma sociedade se males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada571 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *