MP CUMPRE MANDADOS DE PRISÃO CONTRA EX-PREFEITOS DE DIVINO DAS LARANJEIRAS, ITABIRINHA E SÃO FÉLIX DE MINAS

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) – por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) – a Polícia Militar de Minas Gerais e a Polícia Civil deflagraram na manhã de hoje, 19 de julho, a Operação Octopus. Foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e dezessete mandados de busca e apreensão, além de bloqueio de bens e valores. Os alvos dos mandados de prisão são os ex-prefeitos das cidades de Divino das Laranjeiras, Itabirinha e São Félix de Minas.

De acordo com as investigações, que foram iniciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) em operação realizada no início deste ano, entre os anos de 2009 e 2016 o então prefeito de Divino das Laranjeiras montou um esquema de fraude em licitações relacionadas às obras púbicas do município. Por meio dele, o ex-prefeito recebia propina das empresas que participavam do certame em troca de garantir que o contrato seria assinado com elas. Dentre as empresas apuradas, estavam as que pertencem aos ex-prefeitos de Itabirinha e São Félix de Minas, sendo que eles a colocavam em nome de laranjas a fim de esconder o seu real proprietário.

A apuração ainda observou que o ex-prefeito de Divino das Laranjeiras continuou exercendo influência nas licitações mesmo após o término do seu mandato, já que seu sobrinho e afilhado político assumiu a Prefeitura do município.

Por vezes, o próprio prefeito celebrava contratos consigo mesmo, sempre se valendo do expediente de inserir as empresas em nome de terceiros e também da influência que exercia no mandato de seu sobrinho à frente da prefeitura.

Os crimes apurados são os de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa, falsidade ideológica e fraude à licitação.

Será concedida entrevista coletiva hoje, 19 de julho, às 10h, na sede da Promotoria de Justiça situada na Rua Vereador Omar de Magalhães, 864, Bairro Santa Terezinha, Governador Valadares/MG

(fonte e foto: jornal o Tempo)

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada1.708 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *