SINAIS DE QUE A GENGIVITE EVOLUIU PARA UMA PERIODONTITE – Por Dra. Fátima Zambon

dra. Maria de Fátima Zambom Souza – Cirurgiã Dentista – Especialista em Odontopediatria

Periodontite é um estágio das doenças gengivais em que não há mais como reverter os danos já causados
Muitas pessoas acham que o maior problema bucal são as cáries, mas não é bem assim. Doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite são os quadros bucais mais frequentes.
Dentre essas doenças, o estágio mais grave é a periodontite, em que as bactérias acumuladas na boca se calcificam nos dentes, formando o cálculo dental. Além de produzir irritação, ele propicia o acúmulo de mais placa bacteriana, em um círculo vicioso. Essas bactérias passam então a destruir as estruturas que sustentam os dentes, começando pela gengiva e chegando até os ossos.
Quando a doença chega a esse ponto, nem sempre é possível reverter os danos já causados. Portanto, veja alguns sintomas de que a gengivite (estágio inicial da doença) evoluiu para uma periodontite: Principais sintomas da periodontite:
Amolecimento e queda dos dentes: As bactérias da placa bacteriana, também conhecido como tártaro, agem necrosando o dente. Isso vai destruindo os ossos e ligamentos dentais, que sustentam essa estrutura.Com isso, os dentes começam a ficar amolecidos e até mesmo mudar um pouco de posição na arcada ou se inclinar para frente ou para trás.
Dentes alongados: Os dentes de quem desenvolve periodontite podem parecer mais alongados do que o normal. Isso acontece porque com a perda das estruturas que dão sustentação ao dente, a gengiva vai caindo e expondo ainda mais os dentes. É a retração gengival, que ocorre porque a gengiva precisa de uma ancoragem para se estabelecer ao redor do dente.
Aumento da sensibilidade: Além de causar uma mudança na aparência dos dentes, a retração gengival causa outros tipos de consequência; A coroa do dente, que foi feita para ficar exposta, é coberta pelo esmalte, uma película que protege os dentes. Mas com a retração, a dentina também se expõe ao ambiente. Ela é mais porosa e contém prolongamentos nervosos que se ligam à polpa do dente.Quando ela está exposta, acaba causando sensibilidade a alguns fatores externos, como alimentos quentes, gelados ou ácidos.
Formação de bolsas nas gengivas: A retração gengival faz com que a gengiva que se solta forme algumas bolsas ao redor dos dentes. É como um tecido que se afrouxa, liberando espaço entre a gengiva o dente, que se torna mais um local que retém alimentos e bactérias. Esse acúmulo de bactérias pode causar pus ou até mesmo levar a infecções mais graves, que podem até mesmo se espalhar para o resto do corpo através da corrente sanguínea.
Dores: As dores não são tão comuns na periodontite, mas podem aparecer.
Mau hálito: A periodontite pode ser classificada como um acúmulo de grande quantidade de bactérias na boca, que ao realizarem a decomposição dos resíduos de alimento causam um mau odor.
Alteração do paladar: O excesso de placa bacteriana e bactérias também podem até alterar o sabor dos alimentos.
A importância da prevenção; Prevenir a periodontite é fundamental, pois quanto mais ela destrói os ossos e ligamentos dos dentes, mais difícil de reverter ela se torna. No entanto, a doença periodontal sempre começa como uma gengivite, que é quando as bactérias começam a se acumular na superfície dos dentes, formando o chamado biofilme dental (popularmente conhecido como placa bacteriana).
Esses micro-organismos inflamam a gengiva, que fica vermelha e propensa a sangramentos. O problema é que muitas pessoas tendem a considerar esse sangramento algo banal e não procuram ajuda do dentista, que é o único capaz de remover essas bactérias e impedir a progressão da doença.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada253 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *