DISTRIBUIÇÃO E DISPONIBILIDADE DE ÁGUA NO PLANETA- Por Valter Andrade

Valter Ferreira de Andrade – Técnico em Saneamento Ambiental / Servidor da FUNASA

A Terra é de composta por 70% de água, porém apenas 3% desse total são formados por água doce. Está disponível na natureza: nas geleiras, nos lençóis subterrâneos, mares, oceanos, rios, riachos e nas nascentes. Sua qualidade está associada aos cuidados que recebe em cada parte do mundo.
Sua disponibilidade em números pelo mundo revela que 97% da água está presente nos mares e oceanos e não é potável. Como dito acima, apenas 3% de todo volume existente no planeta é doce, mas é bom observar que destes 3%, 2,5% está retido nas glaciais da Antártida e do Ártico não disponível ao homem.
Dentro dessa ótica é possível vislumbrar que apenas 0,5% (meio por cento) de toda água existente está disponível para a humanidade satisfazer suas necessidades e a dos ecossistemas.
Em nosso país, infelizmente pela ausência do poder público na condução das políticas públicas visando garantir a qualidade dos recursos hídricos, nos obriga a conviver num cenário desanimador, pois os números mostram através de estudos realizados pela Fundação SOS Mata Atlântica que a qualidade da água é péssima em 4% das amostras, ruim em 28%, regular em 68%, e pasmem, “ nenhum caso de água boa ou ótima.”
Vale ressaltar que no Brasil apenas 48% da população é atendida por coleta de esgoto e desses 48% coletado menos de 40% recebe tratamento. Os rios e córregos são responsáveis para absorver todo o restante não tratado. Somado às montanhas de lixos e outros detritos depositados clandestinamente vem contribuir com os altos índices de poluição dos recursos hídricos.
O nosso rio doce, como se não bastasse estar entre os mais poluídos do Brasil, encontra-se em processo avançado de desertificação.
No Brasil a distribuição de água não foge das características presentes no ambiente global, sendo as regiões com baixa densidade demográfica privilegiadas com grandes reservas de água e em regiões com número elevado de habitantes com pouca disponibilidade hídrica.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada129 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *