DEZEMBRO VERMELHO – Por Dr. Luis Eduardo

O Dia Internacional da Luta contra a AIDS é comemorado anualmente em 1º de dezembro. A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre uma das doenças que mais mata no mundo: a AIDS.
Não apenas informar as pessoas sobre os sintomas, perigos e formas de se prevenir da doença, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS também tem a função de auxiliar no combate contra o preconceito que os portadores de HIV – vírus humano de imunodeficiência – sofrem na sociedade por causa da doença.
A sigla AIDS vem do inglês Acquired immunodefiecience syndrome, que em português significa “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida”.
O vírus da AIDS (HIV) destrói as células brancas do organismo, responsáveis em proteger e combater doenças no corpo humano. Com a destruição das defesas do organismo, o corpo fica bastante fragilizado e propício a ser atacado por inúmeras doenças, como pneumonias, infecções, herpes e até mesmo alguns tipos de câncer.
O primeiro caso da doença registrado no mundo foi no ano de 1980, mas somente em 1986 um remédio, popularmente conhecido como Azidotimidina (AZT), foi desenvolvido. Não há cura para a Aids.
Formas de Transmissão:
A doença é adquirida a partir de fluidos corporais, que carregam o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) que ataca o sistema imunológico. O vírus é transmitido, principalmente, por meio de relações sexuais (oral, vaginal e anal) sem o uso de preservativo. Outras formas de transmissão incluem transfusões de sangue (com o uso de seringa ou agulha contaminada) e transmissão vertical (de mãe para filho) durante a gravidez, o parto ou a amamentação. Ao atacar o sistema imunológico, o vírus se multiplica e rompe os linfócitos, destruindo, assim, todas as células de defesa do organismo. Com isso, é gerado um aumento do risco de infecção, deixando a pessoa mais vulnerável a diversas doenças.
Atenção: beijos de língua, abraços ou contatos com a pele da pessoa portadora de HIV NÃO transmite a doença!!!
Tratamento:
A doença não tem cura, mas pode ser tratada com coquetéis, quando diagnosticada a tempo, melhorando a qualidade de vida do infectado. Para combater a doença, os medicamentos mais utilizados são chamados de antirretrovirais, e têm a função de impedir que o vírus se espalhe pelo corpo.
Temos no Brasil um dos melhores programas de HIV/aids do mundo – um programa que revolucionou o tratamento e reduziu a velocidade de disseminação da epidemia mundial ao adotar, em 1996, uma política de distribuição gratuita de medicamentos.
Fato é que vidas inteiras são assombradas com o fantasma da AIDS em todo o mundo, quer seja pela política de exclusão do portador da doença pela sociedade ou pelo conflito interno gerado dentro de um paciente, que não partilha das informações devidas. Para amenizar isso, o apoio da sociedade, junto ao governo e a Ongs (exemplos Sociedade Viva Cazuza), facilitam a adesão ao tratamento para quem tem essa doença
Desse modo, as medidas de prevenção e tratamento devem estar ligadas aos valores de respeito, solidariedade e compromisso humano, sobretudo, quando lidamos com causas que afetam diretamente milhares de vidas.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada217 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *