A NATUREZA NÃO PERDOA – Por José Nilson

A ONU – Organização das Nações Unidas instituiu o Dia Mundial da Água (DMA) que é celebrado à 22 de março. Com o objetivo de alertar a população mundial sobre a preservação dos bens naturais e, sobretudo, da água. A escolha de um dia dedicado a esse patrimônio natural do planeta, ressalta sua grande importância na vida das pessoas e no equilíbrio dos ecossistemas. Além disso, destaca a necessidade de conscientizar a população sobre o cuidado e preservação desse bem tão valioso, que desde muito tempo vem sendo explorado indiscriminadamente pelo homem. A poluição da água é resultado das alterações de sua qualidade e que a tornam imprópria para o consumo e prejudicial aos organismos vivos que nela habitam. Problemas como a urbanização, construção de rodovias, estouros de barragens de rejeitos, indústrias, represamento, desmatamento, expansão da agricultura e pecuária, afetam consideravelmente o meio ambiente. Estatísticas da ONU, mostram que 25% da população do planeta não têm acesso a água potável e cerca de 58% dos municípios no Brasil não possuem água tratada. Vale lembrar que o Brasil é um país que detém cerca de 12% da água doce do planeta. Além disso, cerca de 20 países já sofrem com a escassez de água, o que corresponde a 40% da população mundial, o que gera muitos problemas sociais e de saúde pública. A água é um dos recursos finitos mais essenciais para a sobrevivência da vida no planeta, pois colabora com os ciclos naturais e ainda, é fundamental para a produção de alimentos. Importante destacar que o ser humano é formado em grande parte por água (cerca de 70% do nosso corpo). Para além disso, a superfície terrestre é formada aproximadamente de 70% de água. Grande parte dela é água salgada dos mares e oceanos (cerca de 97%), restando cerca de 3% de água doce (dos rios), onde apenas 0,01% é considerada apropriada para consumo. Se a vida está sendo ameaçada por onde anda os homens do templo e os políticos? Devo lembrar que a omissão também é um modo de colaborar com o sistema de morte. Não preocupamos em conservar os bens naturais, pois pensamos que irão durar mais uns cem anos, e daqui a cem anos eu não vou está mais aqui, porque mim preocupar? E o nosso lixo de cada dia, há algum esforço para diminuir a produção, ou preocupamos apenas em descartar nossos rejeitos? O uso constante e o descarte das sacolas de supermercados é uma desgraça para o meio ambiente. É apenas um exemplo, no meio de milhares. Tudo isso para mostrar que perdemos a capacidade de viver Jesus, alguns ainda desenvolvem tarefas religiosas pensando estar servindo a Deus, outros nem isso. Servir a Deus é não agredir, não maltratar, não causar dano, mas viver em harmonia com tudo que está ao nosso redor.

– Por uma sociedade sem males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada195 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *