CARNAVAL – Por Dr. Luis Eduardo Gonçalves

Estamos no mês onde se comemora a festa mais folclórica do nosso país, o Carnaval. Fantasias, desfiles das Escolas de Samba, sambas-enredo e marchinhas, bailes, trios elétricos, blocos de carnaval, dentre outros, são as principais atrações para carnavalescos. No Brasil, as festividades se estendem desde o típico frevo da cidade de Olinda, do axé na Bahia, aos desfiles das escolas de samba do Rio, São Paulo e outras cidades.
Apesar da folia e entretenimento, o Carnaval está muito associado ao “sexo”, onde ingestão alcoólica combinado com sensualidade se tornam uma combinação perigosa. O Ministério da Saúde investe todos os anos em inúmeras campanhas para conscientização para os foliões, referente ao perigo da direção ao se ingerir álcool, e principalmente quanto ao uso da “CAMISINHA”, para prevenção das doenças venéreas. São inúmeras doenças, onde descreveremos algumas:
AIDS: causada pela infecção do organismo humano pelo HIV (vírus da imunodeficiência adquirida). O HIV compromete o funcionamento do sistema imunológico humano, impedindo-o de executar adequadamente sua função de proteger o organismo contra as agressões externas, tais como: bactérias, outros vírus, parasitas e células cancerígenas;
HPV (Papiloma Vírus Humano): é uma lesão na região genital, onde o vírus pode causar desde lesões verrucosas, até ao surgimento do Câncer colo útero. HPV é hoje considerado principal DST no Brasil.
Gonorreia: Também é conhecida pelo nome de blenorragia, pingadeira, esquentamento. Nas mulheres, essa doença atinge principalmente o colo do útero;
Clamídia: também é uma DST muito comum e apresenta sintomas parecidos com os da gonorreia, como, por exemplo, corrimento parecido com clara de ovo no canal da urina e dor ao urinar. As mulheres contaminadas pela clamídia podem não apresentar nenhum sintoma da doença, mas a infecção pode atingir o útero e as trompas, provocando uma grave infecção. Nesses casos, pode haver complicações como dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas (fora do útero), parto prematuro e até esterilidade;
Herpes: manifesta-se através de pequenas bolhas localizadas principalmente na parte externa da vagina e na ponta do pênis. Essas bolhas podem arder e causam coceira intensa e dor. Ao se coçar, a pessoa pode romper a bolha, causando uma ferida;
Sífilis: manifesta-se inicialmente como uma pequena ferida nos órgãos sexuais (cancro duro) e com ínguas (caroços) nas virilhas. A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Após certo tempo, a ferida desaparece sem deixar cicatriz, dando à pessoa a falsa impressão de estar curada. Se a doença não for tratada, continua a avançar no organismo, surgindo manchas em várias partes do corpo (inclusive nas palmas das mãos e solas dos pés), queda de cabelos, cegueira, doença do coração, paralisias;
Tricomoníase: os sintomas são, principalmente, corrimento amarelo-esverdeado, com mau cheiro, dor durante o ato sexual, ardor, dificuldade para urinar e coceira nos órgãos sexuais. Na mulher, a doença pode também se localizar em partes internas do corpo, como o colo do útero.
Aproveite seu carnaval com consciência, divirta-se de forma prudente. Se usar bebida alcoólica não dirija, se tiver relação sexual, use proteção (a famosa camisinha); elas são fornecidas gratuitamente pela rede pública.
No caso de alterações genito-urinárias (dor ao urinar, corrimento diferente, prurido, lesões atípicas, ínguas), procure um Médico Ginecologista imediatamente!
Desejo um feliz carnaval, com muito respeito a si mesma, e ao seu próximo!

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada347 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *