DIREITO DE TODOS, PRIVILÉGIOS DE ALGUNS – Por José Nilson

Quando paro para escrever, me sinto profundamente desafiado, pois olhando para a sociedade da qual faço parte, formada por pessoas conformadas, contraditórias, imediatistas, que só conseguem olhar para o agora e não pensam no amanhã, pessoas com pouca ou nenhuma convicção, quando penso que alguém tem consciência, esta se vende por alguns reais, no campo politico isso sempre acontece. Não faltam pessoas para falarem comigo: Cuidado com o que você fala, nem sempre podemos falar aquilo que pensamos, principalmente se vai denunciar, criticar, desmascarar alguém ou prejudicar alguma instituição. Eu pergunto onde está a democracia, o direito de expressão, e o radicalismo, o aí de vóz de Jesus? Baseado nos dircursos deste mundo, afirmo que ficou em alguma sinagoga de Jeruzalém ou em algum deserto de Israel, não chegou aqui. Indiferente a isso, lembro que dia 07 de Abril comemora-se o dia Mundial da Saúde, data criada com a finalidade de conscientizar a população a respeito dos vários aspectos que envolvem a saúde. Saúde deveria ser prioridade de todos, mas estou cercado por pessoas com interesses muito mais voltados para si do que para os outros. Quando alguém aparentemente defende a vida é porque tem alguma entidade dando proteção e dinheiro, caso contrário não estaria ali. Lembrando que saúde é qualidade do que é sadio ou são. Bom estado do organismo, cujas funções estão regulares. Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Em 1946, a Organização Mundial de Saúde aprovou um conceito que amplia o entendimento do que seria estar saudável. Ficou definido então que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Percebe – se que saúde não é um estado fácil de ser alcançado, pois muitas pessoas não conseguem viver sem tristezas, sem preocupações, nem interagem de maneira harmoniosa com tudo que a rodeia. A saúde, o bem-estar é conseguido não só através do tratamento de doenças ou sua prevenção, mas através de qualidade de vida. De acordo com a lei 8.080 de 1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado, poder público, prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. A lei também enfoca que, para ter saúde, alguns fatores são determinantes, tais como a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, a atividade física, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais. Todos os anos campanhas são realizadas para que a população aprenda a se cuidar e informe-se sobre seus direitos quando o assunto é promoção da saúde. É fundamental que, além de cuidarmos da nossa saúde, participemos das lutas por melhorias.
– Por uma sociedade sem males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada170 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *