TODOS TEM SEU VALOR – Por José Nilson

No dia 16 de Maio é comemorado o Dia do Gari. A palavra gari é uma homenagem ao empresário francês Aleixo Gary, que se destacou na história da limpeza da cidade do Rio de Janeiro. Em 11 de outubro de 1876, ele assinou um contrato com o Ministério Imperial para organizar o serviço de limpeza da cidade, que incluía a retirada de lixo de casas e praias e o transporte para a Ilha de Sapucaia, atual bairro Caju.
Seu contrato venceu em 1891 e seu primo Luciano Gari o substituiu. A empresa acabou em 1892 e foi criada a Superintendência de Limpeza Pública e Particular da Cidade, cujos serviços não eram bons. No ano de 1906, o órgão tinha somente 1.084 animais de carga para trabalharem na coleta das 560 toneladas de lixo. A partir dessa data, teve início a coleta de lixo com equipamentos mecânicos. A data lembra o dia da publicação da Lei que instituiu a categoria, em 16 de maio de 1962. Os garis são os profissionais da limpeza pública responsáveis por manter as ruas e calçadas limpas. Aos poucos o nome se generalizou e até hoje são chamados garis.
O triste é a existência da Invisibilidade Pública, ou seja, o trabalhador de rua é pouco percebido, pouco valorizado. Não temos o hábito de nos colocar no lugar do outro, por isso damos tão pouco valor aos trabalhos considerados de menor expressão. Em uma sociedade capitalista, onde as pessoas são medidas pelo que elas têm e não pelo que elas são, culturalmente os trabalhadores braçais, funcionários em geral, com raras exceções, são tratados como coisa que não tem sentimento como dores ou cansaço.
Às vezes por pressa, falta de sensibilidade ou educação, deixamos de enxergar e valorizar essas pessoas que fazem um trabalho importante e essencial para nossa sociedade. Já imaginou se eles pararem? Como ficarão nossas ruas e praças? Todos os dias lá estão eles cumprindo com seu ofício de manter a cidade limpa. Com esse trabalho eles colaboram para com todos. Enquanto muitos vivem cercados de facilidades sustentadas pela exploração e desonestidade, a luta destes é contra a sujeira provocada pela maioria que joga tudo que não querem pelo chão.
Aos garis, estes heróis, fica registrado meus sinceros votos de estima e elevada consideração. Desejo a eles paz, todo bem, saúde do corpo e da alma, sabedoria para conduzir bem suas vidas e coragem para enfrentar esse trabalho duro, mas não menos importante do que qualquer outro e do qual garantem seu sustento com toda dignidade. Números 6, 24 – 26, O Senhor vos abençoe e vos guarde! O Senhor lhes mostre o seu rosto e tenha misericórdia de vós! O Senhor lhes mostre sua face e lhes conceda a paz! E viva os garis!!! Viva!!!
– Por uma sociedade sem males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada217 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *