HEPATITE – Por Dr. Luis Eduardo G. Ribeiro

Maio é o mês de combate e prevenção contra as Hepatites Virais.
A hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.
Tipos de Hepatite: As hepatites virais são inflamações causadas por vírus que são classificados por letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E.
Também existem as hepatites não virais, como a Alcoólica, a Medicamentosa e a Auto-imune.
No Brasil, mais de 70% (23.070) dos óbitos por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, seguido da Hepatite B (21,8%) e A (1,7%). O país registrou 40.198 casos novos de hepatites virais em 2017.
O SUS oferece tratamento para todos independente do grau de lesão do fígado.
Sintomas: Em muitos casos, não há nenhum sintoma e isso aumenta os riscos da infecção evoluir e se tornar crônica, causando danos mais graves ao fígado, como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina, que detectam as hepatites. Este cuidado é ainda mais importante nos seguintes casos: pessoas que não se imunizaram para hepatite B; ou que têm mais de 40 anos e que podem ter se exposto ao vírus da hepatite C no passado (transfusão de sangue, cirurgias).
Sintomas em geral são: Cansaço, Febre, Mal-estar, Tontura, Enjoo, Vômitos, Dor abdominal, Pele e olhos amarelados, Urina escura, Fezes claras.
Fatores de risco: Os fatores de risco para ter uma hepatite estão relacionados aos agentes causadores da hepatite. Podemos destacar como fatores de risco:
-Consumo de água e alimentos contaminados;
-Sexo desprotegido;
-Compartilhar agulhas para uso de drogas injetáveis;
-Uso de material cirúrgico contaminado e não-descartável;
-Compartilhar lâminas (cuidado em sessões de depilação ou tatuagem, manicure e barbearia);
-Compartilhar escova de dentes;
-Não usar material de proteção individual ao lidar com produtos biológicos;
-Uso abusivo de álcool e medicamentos;
-Não receber as vacinas contra as hepatites a e b se houver indicação.
Diagnóstico: O diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado. Por isso, é tão importante fazer os exames. O diagnóstico pode ser feito por testes rápidos que dão o resultado em uma hora, ou em laboratório.
Pré-natal – O exame de hepatite B também faz parte do rol de exames do pré-natal.
Prevenção: Vacina – A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B, e está disponível gratuitamente no SUS. Para os demais tipos de vírus não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.
Imunobiológicos Especiais (CRIE). Em 2017, foram distribuídas 18 milhões de vacinas.
Tratamento: Depende do estágio e do tipo viral. Tratamentos são em geral individualizados.
Procure seu médico para exames regulares e leve seu cartão de vacinas sempre, é importante estarem em dia.
As Hepatites possuem tratamento, e em muitos casos até cura.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada375 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *