SÓ OS LIVRES EXPÕE SEUS PENSAMENTOS – Por José Nilson

José Nilson é cristão, pai de família e servidor público municipal

No dia 14 de julho é comemorado em todo o mundo o Dia da Liberdade de Pensamento. A primeira vez em que foram definidos a liberdade e os direitos fundamentais do Homem foi por meio da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovada pela Assembléia Nacional Constituinte da França em 26 de agosto de 1789.

Vale lembrar, ainda, que o dia 14 de julho remete a uma data muito importante na história: a Queda da Bastilha, que marcou o início da Revolução Francesa. Além de ter servido de inspiração para as constituições francesas de 1848 e para a atual, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão também foi base da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 10 de dezembro de 1948.

Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Nos artigos XVIII e XIX, por exemplo, estão dispostas as seguintes observações, respectivamente: “Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular”. “Todo homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.

Porém vivemos em uma sociedade hipócrita, discípulos do Deus Mamon (dinheiro) e a este prestamos culto diariamente. Em relação à hipocrisia, perguntei a um irmão se a verdade pode ser falada. Ele disse: Poder pode, mas se não falar é melhor. Para dizer: Não gostamos da verdade, pois esta revela a mentira, o engano e desafiar a mentira e acabar com o engano é um modo de ser livre, e ser livres é justamente o que não queremos. Ser livre implica responsabilidade e comprometimento.

O evangelho, por exemplo, é pregado por todo lado, mas ninguém pratica. Porque ninguém é preparado para ser honesto, o que se partilha é o que não presta, ou não serve mais, cultuar o Deus do templo, é mais importante que socorrer o Deus que está no próximo. Isso mim faz lembrar, uma frase de um jovem chamado Antonio Frederico Ozanam: Uma só coisa nos poderá destruir, a alteração do nosso espírito primitivo. Infelizmente, o que ele temia, foi exatamente o que aconteceu.

Temos 2019 anos de evangelização e ainda estamos nessa de joio semeado no meio do trigo, para dizer: Em relação ao que Jesus ensinou, não evoluímos nada. Se o evangelho fosse levado a sério, como os fariseus levaram, não existia mais joio, seriamos todos trigo. Eis o que diz o Senhor: Aqueles que dizem ser meus seguidores e dizem falar por mim, tem culpa maior.

– Por uma sociedade sem males –

 

****Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não representa necessariamente a opinião do site.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada165 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *