TENHO DIREITOS E TENHO DEVERES – Por José Nilson Rodrigues

Servidor Público, Cristão e pai de Família

 

Seja qual for a questão não fique em cima do muro, pois ficar em cima do muro é uma atitude diabólica, lembro que Jesus disse: Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passar disto é de procedência maligna.” (Mateus 5, 33 – 37). Jesus ensina a seriedade que deve haver em nossas palavras, e como o nosso falar não deve ser medido pelos nossos juramentos, mas sim por nossa integridade. Uma pessoa de caráter e honesta, não precisa usar de juramentos para provar suas atitudes ou palavras. Aliás, os seus atos darão testemunho a seu respeito. Tomando pelo princípio que não há desenvolvimento sem justiça e paz social, utilizo deste espaço e todo bom senso, para me posicionar com desolação a respeito do espírito de ódio violência, intolerância, preconceito e desprezo pelos direitos humanos, que estão ocorrendo e que ocorrem em todos os poderes, seja judiciário, legislativo, executivo ou religioso, seja onde for o espírito é o mesmo, de controle e domínio. Lembrando que nada justifica tais atitudes. As pessoas antes de sair em defesa de alguém ou de algum grupo, deveriam criar o hábito de ler, procurar interpretar o que leu, se não for capaz, peça ajuda a quem entende. Procure entender as matérias para não sair por aí como um papagaio repetindo palavras carregadas de ódio, maldade e iniqüidade, que não ajuda a resolver o problema e só causa mais confusão. O que não pode é colocar os interesses individuais acima do que diz a lei. Se é lei é para ser cumprida. Escolhemos um lado somente para ganhar crédito, se sentir participante de algum agrupamento e em troca receber algum tipo de privilégio e proteção. Mas a questão é uma só, trabalhar na legalidade, isso poucos querem, preferem transferir responsabilidade, usar de malícia para provocar tumulto e assim impedir que a verdade seja dita. Para mudar tem que acontecer uma intervenção cirúrgica sem anestesia, que vai causar dor e mexer com o conforto de muita gente. Agora sejamos sinceros, não dá para cobrar ética, moral, honestidade de ninguém, se eu sou corrupto, seja nas grandes ou pequenas coisas, desde o roubo de um objeto de pouco valor ao desvio de milhões de reais, erro é erro, corrupção é corrupção. Certo é que deveríamos estar todos em defesa dos direitos fundamentais sociais, inclusive os trabalhistas. Com freqüência esquecemos que devemos obediência à Constituição Federal. Por fim afirmo que não há boa governança sem coerência constitucional, e que tampouco pode haver Estado Democrático de Direito sem Estado Social com Liberdades Públicas. Há um dito popular que proclama: “o meu direito acaba onde começa o do outro”, isso envolve bom senso, ética e valores morais e, também, direitos e deveres assegurados em Lei. É importante conhecê-los para saber seus direitos e, sobretudo, respeitar os dos outros.

– Por uma sociedade sem males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada260 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *