TENDÊNCIA DESTRUTIVA – Por José Nilson

Servidor Público, Cristão e pai de Família

Os Governos Extremistas estão espalhados pelo mundo todo. Governam longe da dor do povo. Não valorizam a vida e nem os bens naturais. Alcançam o poder através de golpes, denúncias sem provas e muitas notícias falsas. Para entender isso é preciso examinar tudo e desintoxicar – se da paixonite aguda, costume de defender idéias e pessoas às cegas, sem nenhum estudo ou ponto critico, normalmente pessoa com paixonite perde a personalidade e facilmente é manipulada. Estão por aí, os extremistas de direita e de esquerda, mas quando se trata de extremismo, nenhum presta. Antes de ser qualquer coisa, ou ocupar qualquer cargo, é preciso ter senso de justiça e responsabilidade social.
Os extremistas sabem o que querem, elaboraram projetos para longo prazo. Adotam estratégias bem arquitetadas. Por exemplo: Despolitizam, tiram o sentido do discurso político e enchem – no de moralismo, elevando a moral como valor absoluto. Jamais demonstram preocupação com a saúde, educação, meio ambiente, desemprego, desigualdade social, etc. O foco não é o atacado, é o varejo. Apresentam uma falsa moral familiar, apoiada em pessoas cheias de religiosidade, moralidade e vazias de racionalidade, a religião sabe bem o que é isso, não por acaso o moralismo é muito forte neste meio.
Outra estratégia é apropriar-se da religiosidade, sabedores que hoje 1/3 da programação televisiva brasileira é dominada por Instituições Religiosas, sejam: Evangélicas, Pentecostais, Neopentecostais, Católicas, etc. Todas inclinadas a apoiar qualquer modelo de governo para continuarem recebendo em troca os privilégios, como isenção de impostos e multiplicação das concessões de Rádio e TV. Outra estratégia é afrouxar as leis, para influenciar o cidadão comum a pensar: Agora sou mais livre. Implantam e provocam o ódio entre os apoiadores e os opositores. Quem os contraria são comparados ao capeta, quem denuncia o que é errado e se posiciona a favor da justiça, são vistos como ameaças. Com novas leis e decretos sufocam a liberdade de expressão, para evitar desgastes no governo.
Provocam aversão, medo e desconfiança, às pessoas estrangeiras ou de outro meio. Implantam um nacionalismo farisaico. Outra estratégia eficiente é se fazer dono da verdade, a verdade é o agente público, suas ações são autoritárias e absolutas e não admite criticas. Eis o que diz Jesus: Hipócritas! Bem profetizou Isaías a respeito de vós: Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; pois ensinam doutrinas que não passam de regras humanas.– Por uma sociedade sem males –

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada368 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *