MÉDICA ALERTA PARA DOENÇA TRANSMITIDA POR POMBOS QUE AFETAM O SISTEMA NERVOSO

Por que os pombos podem ser um risco grave para a saúde?

Existem alguns animais que convivem com as pessoas, especialmente nas grandes cidades, e que podem oferecer riscos. Por isso, a população de bichos como pombos, ratos, morcegos, deve ser controlada para evitar danos maiores aos homens.

Uma das doenças transmitidas pelos pombos é a criptococose, conhecida como “doença do pombo”. A infecção é causada por fungos que se proliferam nas fezes das aves e também em ocos de árvores, por exemplo. Inalados, eles se instalam nos pulmões e de lá migram para o sistema nervoso central. A doença pode dar meningite.

De acordo com  a infectologista Rúbia Miossi, do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam) do Estado do Espírito Santo, os pombos podem transmitir desde doenças mais simples, como alergias e dermatites, até enfermidades de alta gravidade, como a criptococose, que pode comprometer o pulmão e o sistema nervoso central.

“As doenças transmitidas por pombos atingem, em especial, a população com alguma imunodeficiência, como idosos, crianças ou pessoas com doenças crônicas. É importante dizer que as doenças de alta gravidade contam com um tratamento que pode ser muito caro, longo e deixar sequelas no paciente”, explicou.

Miossi também esclareceu que as doenças não são transmitidas somente com o contato direto com a ave. “A transmissão, dependendo de cada doença, pode acontecer pelo consumo de água ou alimento contaminado e até pela poeira”. No caso da doença mais comum, a salmonelose, causada pela famosa bactéria Salmonella, a contaminação se dá pela ingestão de alimentos ou água contaminados com as fezes de pombos. Já as alergias são resultado da inalação de penugens de pombo ou do próprio ar contaminado.

As pessoas podem confundir os sintomas da doença com gripe. Entre os sintomas estão febre, dor de cabeça forte, tonturas. Quando a ação é sobre os pulmões, a pessoa pode sentir falta de ar, tosse, febre e/ou cansaço.

Outras doenças: histoplasmose, que pode dar doenças pulmonares; salmonelose, que pode dar distúrbios gastrointestinais; além de dermatites e alergias.

Como evitar?

Assim como os humanos, os pombos precisam de três fatores para sobreviver: água, alimento e abrigo. Justamente por isso, costumam viver perto da população porque é ela que fornece esses elementos nas frestas das casas, porões, sótãos ou até mesmo por deixar comida acessível no lixo ou aberta na despensa.

Há ainda as pessoas que voluntariamente alimentam os pombos, o que pode oferecer um grande risco à saúde pública. Vale lembrar, no entanto, que os pombos não devem ser mortos, apenas controlados, já que têm importância ambiental assim como outras aves.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada449 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *