9 PASSOS PARA VOCÊ MANTER SEUS DENTES SAUDÁVEIS ATÉ A VELHICE – Por Dra. Fátima Zambon*

Não é impossível sustentar uma boa dentição ao longo da vida, mas é preciso ter uma higiene bucal regular, alimentar-se equilibradamente e ter acompanhamento profissional
A princípio, pode parecer impossível. Mas especialistas garantem que dá sim para manter os dentes saudáveis e bonitos da infância até a velhice. No entanto, é preciso seguir alguns passos importantes para que isso se realize.
1º – Nunca se esqueça da higienização
Embora elas não sejam complicadas, muita gente ainda escorrega nas regras de higienização, o que prejudica logo de cara o plano de manter os dentes saudáveis até a velhice.Tenha em mente que é importante fazer pelos menos três escovações ao longo do dia. A que é feita antes de dormimos merece atenção redobrada. O uso do fio dental com a mesma frequência também é altamente recomendado. Escolha uma escova pequena ou média de cerdas macias. Não se esqueça de fazer a limpeza da língua, essencial para evitar a proliferação das bactérias que causam as cáries e o mau hálito.
2º – Limite doces e refrigerante
Faça uma alimentação com baixa participação de açúcares e refrigerantes. Ao consumir as bebidas e os doces, restrinja-os a certos momentos do dia, como a hora das refeições. Isso por conta do hábito de escovar os dentes depois do almoço ou jantar.
3º – Privilegie alimentos amigos
Alimentos como leite, castanha de caju, nozes e coco ralado são aliados de uma boa saúde bucal. Invista também nos itens que têm função detergente como a maçã, pera, cenoura, legumes e verduras. Por conta de sua consistência, eles limpam a superfície do dente durante a mastigação.
4º – Pense na saúde como um todo
Algumas doenças médicas interferem na saúde bucal e vice-versa. O exemplo mais clássico é a diabetes, o paciente com essa condição precisa controlar o consumo de açúcares para evitar sofrer uma perda óssea maior do que o normal. Assim, quem tem periodontite (doença caracterizada pela inflamação da gengiva) pode ter o quadro agravado nessas circunstâncias. Se esse paciente não fizer o controle do biofilme também vai aumentar o nível de açúcar na corrente sanguínea.
5º – Evite o cigarro
A nicotina está diretamente ligada à maior reabsorção óssea [efeito que promove o ‘enfraquecimento’ dos dentes]. Se o paciente já tem alguma alteração na boca, o cigarro diminui ainda mais as defesas do organismo.
6º – Vá regularmente ao dentista
O odontólogo estabelece um cronograma de acompanhamento para cada paciente, de acordo com suas necessidades individuais. Se fizer mais de seis meses da sua última visita, vale marcar um check-up.
7º – Faça o autoexame da boca
Ele deve ser feito de forma periódica, como já acontece com o autoexame das mamas. O paciente, de vez em quando, depois de higienizar a boca, irá olhar para o seu interior a procura de alguma ferida que não cicatrize, algum caroço, mancha escura ou qualquer coisa estranha. Quem tem prótese removível, deve retirá-la antes de fazer esse procedimento. Se a pessoa encontrar qualquer desses sinais, ela deve ir ao dentista o quanto antes.
8º Cheque o seu tipo de mordida
O tipo de oclusão dentária do paciente pode destruir os dentes dele, caso do bruxismo e do apertamento dental. Às vezes, a pessoa não tem cárie, nem perda óssea, mas vai ranger e desgastar os dentes ao longo da vida.Entre as causas do problema, desatacam-se o estresse e as preocupações do dia. O tratamento pode ser feito por meio de placas oclusais ou biorrelaxantes, sempre após recomendação do dentista. Elas relaxam o músculo durante a noite e evitam que a pessoa aperte ou ranja os dentes.

9º – Fique atento ao alinhamento
Dentes tortos ou ‘encavalados’ atrapalham a limpeza e por isso aumentam a chance de desenvolver cáries ou doença periodontal. Nesses casos, garantir que os dentes não sofram a ação deletéria do biofilme é mais importante do que a questão estética. A falta de alinhamento também impede uma mastigação correta, diminuindo o aproveitamento dos nutrientes dos alimentos.

 

* Cirurgiã Dentista – Especialista em Odontopediatria

** o texto é de inteira responsabilidade da autora e não representa necessariamente a opinião do site

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada623 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *