UM OLHAR SOBRE A CIDADE – Por Ermínio Ton*

Há cinco anos mudei-me de mala e cuia para Conselheiro Pena, embora já morava a 15 em minha fazenda, deixando minha Santa Rita de Ituêto como lembrança dos anos dourados em que lá vivi desde que nasci. Dois motivos me fizeram tomar esta decisão, sendo o principal ficar mais próximo do meu trabalho como administrador de uma fazenda de gado leiteiro e de corte, localizada às margens da estrada que liga Conselheiro Pena à comunidade de Crenak e o segundo motivo foi o desejo de minha esposa Sônia em vir morar em sua cidade natal. Como mais um de seus moradores, vejo a cidade crescer em tamanho e regredir em importância social e econômica, o que também me incomoda, uma vez que me considero também mais um conselheirense de alma e coração.
Andando pelas ruas da cidade, converso muito com pessoas de todas as camadas sociais e capto a angústia demonstrada nas falhas e na ineficiência dos serviços prestados pelos agentes públicos na cidade. Sem um planejamento adequado, Conselheiro Pena cresce de forma desordenada, graças à falta de fiscalização e punição aos infratores das leis e códigos de posturas do município. Calçadas mal construídas e fora dos padrões exigidos pelo Plano Diretor do Município, bueiros entupidos, iluminação ruim, arborização urbana mutilada e ruas esburacadas são amostras do caos urbano em que se tornou Conselheiro Pena. Na zona rural, o município ostenta um grande potencial turístico que poderia gerar emprego, renda e impostos mas,graças à precariedade das estradas rurais, esse nicho de mercado permanece inexplorado. As montanhas da Chapada do Bueno e seu entorno oferecem clima ameno e poderiam atrair investidores em hotéis fazenda e turismo rural, caso tivessem acesso mais fácil por vias pavimentadas. A produção de café e hortaliças poderia ser maior se as vias de escoamento da produção fossem melhores.
Temos o privilegio de estarmos situados as margens do rio doce e de uma rodovia como a BR 259, a via férrea também corta nossa querida cidade e isso nos proporciona a oportunidade de caminharmos em busca do progresso, com toda certeza não se consegue evoluir caminhando sem foco, é preciso lutar em prol dos objetivos, cada um cumprir seu papel como cidadão e caminhar com sabedoria e consciente de nossa capacidade e responsabilidade, já é um grande passo em prol de um município melhor.

  • Produtor rural em Conselheiro Pena

**o texto é de inteira responsabilidade do seu autor e não representa necessariamente a opinião do site

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada1.815 vezes

Um comentário em “UM OLHAR SOBRE A CIDADE – Por Ermínio Ton*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *