MEIO AMBIENTE: O QUE PODEMOS FAZER PARA COMBATER O DESPERDÍCIO DE ÁGUA.– Por Valter Andrade*

Todos sabem que a água é de grande importância para a manutenção do planeta. Sabemos também que salvo nos períodos chuvosos a maioria dos mananciais tem seus leitos bastante reduzidos. Mas o curioso é que mesmo diante desse conhecimento, a degradação ambiental avança a passos largos e é comum ver estampado nas redes sociais e informativos diários através da mídia televisiva que o racionamento de água a cada dia que passa atinge um número maior de pessoas nas mais diversas regiões do país.
Na atual conjuntura, penso que poucos municípios podem se dar ao luxo de ofertar água em quantidade e qualidade que permita aos seus cidadãos usar sem os devidos cuidados. Lembramos que independente da quantidade disponível as boas maneiras cobram o uso correto sem desperdícios.
Por falar em desperdício, temos alguns vilões dentro de nossas casas e devemos ficar atentos e nos conscientizando da necessidade de usar sem abusar. Dentro dessa ótica, devemos agir da seguinte forma para evitar o desperdício: manter a torneira fechada ao escovar os dentes, durante o banho fechar o registro ao ensaboar, usar o balde ao invés de mangueira para lavar carro, evitar a varredura hídrica das calçadas, ruas e piso cimentado, (30 minutos lavando calçada com mangueira aberta gasta-se em torno de 560 litros de água), utilizar mais a vassoura e criar meios para o reaproveitamento da água do aparelho de ar condicionado e da máquina de lavar roupas, a grande vilã do consumo de água nas casas.
Diante da grande quantidade de água que é eliminada na rede coletora de esgoto proveniente da máquina de lavar roupas, algumas pessoas vêm montando sistema de reserva visando o reaproveitamento dessa água. A idéia é interessante, pois considerando a lavagem de roupas só nos finais de semana é possível reaproveitar em média 650 litros de água que poderá ser usada para lavar quintais, áreas cimentadas e calçadas. Com essa medida, além do ganho ambiental, evita-se um considerável desperdício e uma economia de aproximadamente 2.500 litros de água/mês, o que não deixa de representar também algum desconto na conta de água.
“VAMOS GASTAR SÓ O NECESSÁRIO, POIS O QUE SE GASTA EM EXCESSO HOJE PODERÁ FAZER FALTA AMANHÃ.”

  • Valter F. Andrade é Sanitarista servidor da FUNASA – Fundação Nacional de Saúde
  • **o texto é de inteira responsabilidade do seu autor e não representa necessariamente a opinião do site

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada224 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *