05 DE JUNHO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE – Por Valter Andrade*

Vários institutos de pesquisas mostram números alarmantes sobre a falta de saneamento básico em nosso país, tendo como conseqüências inúmeras doenças, debilitação e baixa produtividade do homem em razão dessa situação, o que vem colaborando de maneira acentuada com o desequilíbrio ambiental. Vejamos:
* No Brasil são coletados aproximadamente 160 mil toneladas de lixo domiciliar e comercial diariamente.
* 20% da população brasileira ainda não é atendida pelo serviço de coleta de lixo.
* 59% dos municípios ainda usam como disposição final dos resíduos,os famosos lixões à céu aberto, 20% são conduzidos para aterros controlados não atendendo também a legislação, 13% para os aterros sanitários, 3% com programas de reciclagem e apenas 1% conta com usinas de compostagem.
* 35 milhões de pessoas não tem acesso a água potável, o que representa 17% da nossa população.
* 100 milhões de brasileiros não são atendidos pelo serviço de coleta de esgoto sanitário, representando praticamente a metade da nossa população.
* Do esgoto gerado pela metade da população, apenas 45% recebe tratamento, sendo o restante 55% lançado sem nenhum tratamento nos cursos de água.
* O descaso com o saneamento básico apresenta o rio Tietê como o mais poluído do Brasil e o nosso RIO DOCE na décima colocação. (Fonte: IBGE).
A ausência desses serviços ainda consiste num grande desafio para os três níveis de governo, haja visto que para melhorar esses índices são necessários volumosos recursos financeiro e técnico. Com isso percebemos que a necessidade de priorizar as políticas públicas com investimentos focando os quatro pilares do saneamento básico, Abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada dos resíduos sólidos e drenagem pluvial.
É de suma importância refletir sobre a forma que estamos tratando o meio ambiente. E através dessa reflexão temos que entender que a sua preservação passa pela mão de cada cidadão, através das mais diversas ações que tenham como objetivo único manter o meio em que vivemos mais saudável. E lembrar também que todo dia é dia do meio ambiente.

  • Valter F. Andrade é Sanitarista servidor da FUNASA – Fundação Nacional de Saúde
  • **o texto é de inteira responsabilidade do seu autor e não representa necessariamente a opinião do site

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada211 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *