DOR LOMBAR – Por Raquel Oliveira

raquel

Fisioterapeuta – Fisioterapeuta Quiropraxista
e Instrutora de Pilates

A dor é um dos motivos mais comuns para a busca de cuidados de saúde, pois ela incapacita e angustia as pessoas, mais do que qualquer doença isolada. As dores são um sinal de alarme do corpo, a indicação de uma alteração ou uma lesão.
A lombalgia, ou dor lombar, possui várias causas, o que dá a ideia do quanto esse tema é um problema difícil e inclui uma abordagem multidisciplinar durante o tratamento. Muitos desses problemas de dor lombar continuam sem causas claramente definidas após exaustivos estudos. (Santana e colaboradores, 2014)
A lombalgia é uma condição dolorosa da coluna vertebral, sendo classificada como causa frequente de incapacidade funcional. Geralmente está associada a fatores individuais, como fraqueza muscular, postura inadequada, excesso de peso, falta de condicionamento físico, sedentarismo, além de fatores relacionados ao trabalho do indivíduo. (Pereira e colaboradores, 2013)
A dor lombar pode está intimamente relacionada com a diminuição da mobilidade na coluna vertebral, bem como a diminuição da velocidade de resposta a um estimulo qualquer na coluna. Esse déficit de resposta pode gerar distúrbios posturais, devido ao enrijecimento da estrutura articular e devido a uma pobre contração dos músculos que estabilizam a coluna, a musculatura profunda e superficial. (Mann e colaboradores, 2009)
O paciente pode relatar dor lombar aguda ou crônica (que dura mais de 3 meses sem melhorar). A dor pode irradiar para baixo, pela perna, sendo conhecida como radiculopatia ou isquiática, sugerindo o envolvimento de raiz nervosa.
A fisioterapia possui diversos recursos para avaliar e tratar um paciente com dor lombar, seja ela aguda ou crônica, irradiada ou não. Dentro desses recursos estão a Quiropraxia e o Pilates.
A Quiropraxia surgiu nos Estados Unidos da América (EUA), por volta do ano de 1895, cuja sua pratica é voltada para tratamento de desordens na coluna vertebral e articulações periféricas como ombro, cotovelo, punho e mão, quadril, joelho, tornozelo e pé. É a especialidade fisioterapêutica de atendimento primário, dedicada a diagnosticar e corrigir as disfunções relacionadas as desordens na coluna vertebral, através da utilização de técnicas ajustivas ou “Thrust” de baixa amplitude e alta velocidade, associadas a um conjunto de terapias físicas, manipulativas , corretivas e de reabilitação traumatológica e ortopédica
A Quiropraxia visa restaurar as propriedades biomecânicas da coluna por meio de técnicas especificas de ajustamento articular (manipulações vertebrais), permitindo que o sistema nervoso volte a funcionar adequadamente. Assim nosso organismo volta a ser capaz de se reposicionar da forma correta, gerando dessa forma alivio das dores.
Os efeitos da Quiropraxia são duradouros, sendo, no entanto, necessário uma manutenção pelo menos uma vez por ano. O paciente será encaminhado, e deverá manter a prática de uma atividade física que gere o controle e fortalecimento da musculatura envolvida na coluna, como o por exemplo o Pilates.
Pilates por sua vez, é um método de atividade física criada por Joseph Humbertus Pilates, por volta de 1912. A proposta de Joseph Pilates proporciona um amplo benefício para o corpo, estimulando a circulação, melhorando a flexibilidade, a amplitude de movimento, a postura, o fortalecimento muscular e o condicionamento do corpo em geral.
O método possui seis princípios chave: centralização, concentração, controle, precisão, respiração e fluxo. Os exercícios do método envolvem contração muscular de uma forma geral, porém seu destaque maior é a contração do que Joseph chamava de “power house”, ou centro de força. Este centro de força é composto pelos músculos abdominais, transverso abdominal, multífidos e músculos do assoalho pélvico, esses músculos são responsáveis pela estabilização estática e dinâmica do corpo.
A estabilização do centro de força, é essencial para o equilíbrio de carga apropriado dentro da coluna vertebral, gerando estabilidade na coluna vertebral, em especial na coluna lombar. (Marés e colaboradores, 2012)
Estudos realizados com pacientes queixosos de dor lombar, demostraram que o Método Pilates é amplamente indicado para melhora da dor lombar, visto que proporciona fortalecimento e alongamento das musculaturas que envolve a coluna, possibilitando dessa forma a melhora da dor.
Portanto um plano de tratamento baseado em uma avaliação minuciosa do paciente e envolvendo os recursos acima citados, como também a utilização de outras ferramentas utilizadas pela fisioterapia, como Dry Needling (agulhamento a seco), ventosaterapia, lasertapia dentre outras, garantirá ao paciente a melhora de forma eficaz da dor lombar.
Procure um fisioterapeuta capacitado e faça uma avaliação.

Comentários

Comentários

Esta matéria foi visualizada1.029 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *