DOUTRINAS E FÁBULAS – Por José Nilson

Narrações elaboradas, mentirosas, que alimentam fatos e sentimentos imaginários, que faz com que a pessoa se envolva emocionalmente, de maneira que não consegue fazer diferença entre realidade e ficção. Para se sentir do meio, a pessoa se torna dissimulada, fingida e cínica. Se perguntar eles negam, dizem que não é bem assim, mas é isso que os religiosos sempre fizeram e fazem, usam da religião para dizerem que estão servindo a Deus e fazendo assim acontecer o Reino de Deus. Na religião, o Reino de Deus é o Templo. Eu posso ser justo, honesto e fraterno, más se eu não freqüentar o Templo, não ser obediente às doutrinas, sou considerado um pagão, ateu, desviado, herege e sem Deus, para se libertar desse fardo é preciso um mínimo de conhecimento dos textos bíblicos em grego, hebraico e aramaico e confrontá – los com as traduções em português.

Não por acaso, todas as vezes que mim aproximo, leio, faço uma reflexão da Palavra de Deus, mim sinto constrangido por não viver essa Palavra como deveria. Enquanto a grande maioria está convencida de que ao participar de um agrupamento, obedecer ao Sinédrio religioso representado na pessoa de seus líderes, já está fazendo acontecer o Reino de Deus. Assim se sentem justificados de todos os seus pecados e dispensados de qualquer compromisso com a verdade, com a justiça e com a realidade e se sentem reguladores do Reino e da Salvação.

Isso começou em Israel, a partir do quarto século, onde esse movimento foi se estabelecendo e se tornou a religião oficializada e institucionalizada, espalhou pelo mundo, e onde foi se estabelecendo, acontecendo a mesma coisa. Más, religião é o homem, segundo suas ambições e a seu modo, buscando pelo transcendente, em busca de Deus, enquanto Jesus é Deus em busca do homem. Houve uma inversão do processo. Esse movimento sustentado pelo nome de Jesus foi batizado como cristianismo, porém Jesus não tem nada a ver com isso.

Para ser de Jesus é preciso ser discípulo, ter identidade, é outra coisa, é renunciar a si mesmo e viver pela fé na providência divina. Ser cristão é ter a ação coerente com o que se fala; é abrir mão das seguranças próprias. Cristão segundo Jesus, não apóia a pena de morte; não apóia o armamento; não apóia a ditadura; não é homofóbico; não discrimina, não é intolerante; quem vive segundo Jesus, não tem discurso de ódio, não tem discurso falso e agressivo.

Ser Cristão é não tendo nada, oferecer a si mesmo em favor do outro, é ser capaz de perdoar, lembrando que perdoar não é esquecer, perdoar é não repetir o mal que o outro fez, qualquer coisa diferente disso é religião. O Apóstolo Paulo diz que sempre que alguém viver a piedade do Evangelho, este será perseguido.

Jesus diz que feliz quem for odiado, expulso, insultado, perseguido por causa do Filho do Homem! Regozijai – vos, pois grande será vossa recompensa no céu.

– Por uma sociedade sem males –

  • José Nilson se declara, Sacerdote, profeta e rei.
  • * Os texto é de inteira responsabilidade de seus autores enão representam necessariamente a opinião do jornal
Esta matéria foi visualizada176 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *