VEJA O QUE É FATO E O QUE “FAKE” SOBRE ENCHENTE DO RIO DOCE

É #FAKE imagem aérea de Governador 

Valadares “2022”

 

O vídeo que está sendo compartilhado em redes sociais com mensagens fazendo referência à enchente de 2022, na verdade, é antigo(2019). No momento em que o vídeo voltou a circular, os pontos mostrados não estavam alagados.

É #FAKE água de BH na Usina de Antônio Dias

A pesar do vídeo ser gravado na UHE (Usina Hidrelétrica) Sá Carvalho, Localizada em Antônio Dias, nele o narrador fala: “é muita água descendo da cabeceira, lá da região metropolitana, de Belo Horizonte.” Essa informação é falsa! A água de Belo Horizonte não desagua no Rio Doce.

É #FAKE que a água da barragem de Pará de Minas vem para o Rio Doce

Pará de Minas está na região do Rio Paraopeba, que deságua no Rio São Francisco. Qualquer informação que fale que a água da barragem de lá venha para o Rio Doce é falsa.

É #FAKE que a água de Belo Horizonte colabora para encher o Rio Doce

Belo Horizonte, assim como, Caeté, Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Nova Lima estão na região do Rio das Velhas. Já Contagem, Betim e Brumadinho estão na região do Rio Paraopeba. Todos os dois rios deságuam no Rio São Francisco. Sendo assim não possuem nenhuma relação com o Rio Doce.

Clique aqui e veja quais os rios, que de fato, deságuam no Rio Doce.

FONTE: Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Doce

 

Esta matéria foi visualizada2.835 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *