Traumatismo dental em crianças: orientações para pais e responsáveis – Por Dra. Fátima Zambon*

Os acidentes ou incidentes que acometem a boca e causam algum tipo de traumatismo nos tecidos moles ou duros, incluindo os dentes, são bem comuns em crianças, representando um problema de saúde pública.
Há uma grande incidência de traumatismos entre crianças de 2 a 3 anos de idade, fase em que elas iniciam seus primeiros movimentos independentes e sofrem constantes quedas de sua própria altura. Crianças em idade escolar, também estão mais vulneráveis a sofrer algum tipo de traumatismo dental consequentes de brincadeiras, brigas ou acidentes esportivos. Na faixa etária de zero a seis anos, os traumatismos dentários são responsáveis por 18% de todas as lesões físicas, sendo a boca a segunda área do corpo mais comum de ser traumatizada.
O aspecto do trauma nessa região assusta as crianças e seus responsáveis ou cuidadores. Por ser uma área bastante vascularizada, normalmente ocorre muito sangramento. O tratamento das lesões traumáticas dento alveolares, em crianças, é desafiador para a criança, para os responsáveis e para a equipe odontológica, pois muitas vezes, é o motivo da primeira consulta odontológica, aumentando a ansiedade da criança e dos seus responsáveis.
Os estudos demonstram que os casos de traumatismos envolvendo a região da boca e dos dentes ocorrem, em sua maioria, no ambiente domiciliar ou escolar e que, é bem comum, a falta de conhecimento dos pais, cuidadores e educadores sobre como proceder nessas situações.
Embora a procura pelo atendimento odontológico deva acontecer o mais rápido quanto possível após o traumatismo, alguns cuidados devem ser realizados pelos responsáveis de imediato. A primeira orientação é que o adulto mantenha a calma e procure tranquilizar a criança. A seguir é importante lavar a região com água corrente a fim de remover qualquer corpo estranho. Caso encontre algum fragmento do dente, o mesmo deve ser armazenado para que a/o odontopediatra avalie a possibilidade de utilizá-lo em um possível reparo do dente fraturado. Caso ocorra a avulsão (saída) do dente por completo do alvéolo, a conduta vai depender do dente envolvido, se for um dente de leite ou permanente. Se for um dente permanente, o adulto deve armazená-lo em leite ou soro fisiológico e levá-lo o quanto antes para um profissional realizar o reimplante. Nesse caso, o dente não deve ser higienizado. Se for um dente de leite não se aconselha o reimplante, entretanto, o dente deve ser levado ao profissional para que o mesmo possa utilizá-lo, se indicado, para a confecção de uma prótese temporária até a erupção (nascimento) do dente sucessor permanente.
Considerando que as maloclusões, como a sobressaliência aumentada e o selamento labial inadequado, apresenta associação positiva com o aumento dos casos de traumatismos dentários em pré-escolares, a correção dessas maloclusões, nos primeiros anos de vida, constituem uma forma de prevenção aos traumatismos dentários.

* Cirurgiã Dentista – Especialista em Odontopediatria

** o texto é de inteira responsabilidade da autora e não representa necessariamente a opinião do site

Esta matéria foi visualizada138 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *