TAXA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PODE SER EXTINTA EM CONSELHEIRO PENA – OPOSIÇÃO TRABALHOU PARA REJEITAR O PROJETO

iluminpaineis

Conselheiro Pena – A Câmara de vereadores de Conselheiro Pena, analisou e votou um Projeto de Lei de autoria da prefeita Eliana Morais, que autorizava a contratação de um empréstimo com o Bando do Desenvolvimento de Minas Gerais o BDMG, no valor de R$ 2.000.000,00.

O empréstimo tem como objetivo a implantação no município de painéis de energia solar em todos os prédios públicos da prefeitura, inclusive da Câmara Municipal.

Com a proposta, a energia solar gerada nos prédios, vai baratear o custo da iluminação pública que o consumidor paga na conta de energia e com o tempo, vai fazer com ela seja até eliminada, pois além de gerar energia elétrica para o prédio, nem sempre o prédio consome toda a energia o que seria devolvida ao sistema de energia, gerando créditos e fazendo com que a taxa de iluminação pública, chegue a zero.

Entretanto, os Vereadores: Tia Nádia Diretora, Vavá da Barra, Vinícius Tápias, Rosana Assistente Social e Lu Bichara, votaram contra o projeto de lei, votaram contra o fim da cobrança da taxa de iluminação pública, pois sem o empréstimo, que em nada vai comprometer o orçamento municipal, a prefeitura ficaria impossibilitada de extinguir a taxa de iluminação pública.

Os vereadores Alfranio Costa, Neres Malaquias, Mictiel, Selma do Sindicato, Roninho da Ferruginha e Marquinhos votaram favorável ao projeto, fazendo com que o município possa implantar os painéis e fazer com que a taxa de iluminação pública seja extinta.

Segundo a prefeita Eliana Morais, “ o fim da cobrança da taxa de iluminação pública, depende e muito da instalação de um plano sustentável de energia de início nos prédios públicos, o que seria a energia solar”, Eliana disse ainda, “que além de sustentável, o sistema gera energia de sobra fazendo com que o município tenha créditos disponíveis para deixar de cobrar a taxa de iluminação pública, o que quase foi prejudicado pelos vereadores, que votaram contra o empréstimo, e conseguinte contra a população de Conselheiro Pena” finalizou.

Esta matéria foi visualizada6.100 vezes

4 comentários em “TAXA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PODE SER EXTINTA EM CONSELHEIRO PENA – OPOSIÇÃO TRABALHOU PARA REJEITAR O PROJETO

  • 12 de outubro de 2017 em 21:11
    Permalink

    Tia Nádia é demais vereadores que votaram contra esse projeto que beneficiaria o povo.
    Vc com tanto conhecimento e prega o bem mas não.
    O que vcs ganharam para prejudicar o povo dessa forma.
    Vcs não prejudicaram a prefeita.
    Vcs prejudicaram as pessoas que vcs juraram em defender os direitos.
    Vcs não são diferentes dos participantes da lavajato.
    Cruz credo.

    Resposta
  • 13 de outubro de 2017 em 06:44
    Permalink

    Não sei o que a Nádia está fazendo na política. Anunciou aposentadoria no Guilhermina com o motivo de quê precisava de descanso, logo em seguida mostrou as garras. É uma cambada de gente que já tem as mordomias e de egoísmo não finji nem pra ajudar quem precisa que é o povo. Luciana Bichara querendo ser presidente da Câmara.. vai vendo a cara!!! Horror destes que foram contra. Deviam então pagar a taxa pro povo.

    Resposta
  • 13 de outubro de 2017 em 09:22
    Permalink

    Na minha opinião deveriam ser ouvidos os vereadores que votaram contra pois certamente tiveram motivos plausíveis para isso. O plano de governo lançado falava que seria utilizado dinheiro da taxa de iluminação que arrecada de acordo com a própria campanha 1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil) por ano, e não empréstimo com um valor tão alto endividando ainda mais o município. O projeto apresentando também não condiz com o que foi anunciado. Não seria mais transparente se desse voz aos vereadores?

    Resposta
  • 14 de outubro de 2017 em 11:33
    Permalink

    Entendo a sua revolta Carlos mesmo não concordando com ela, hoje a câmara é constituída por vereadores sérios, instruídos que a cada instante procura o melhor para nossa cidade, o poder legislativo deixou de ser chancelador do executivo para ser órgão sério que discute muito bem os projetos antes de votar. Se fosse vereador votaria como eles: Nadia, Vavá, vinicius, Rosana e Luciana, merecem todo o meu respeito, não acho certo um administrador fazer dívida ou empurrar contas para o proximo pagar somente pela satisfação falsa de ter feito alguma coisa, criticava o ex Prefeito por deixar dívidas para fazer obras como crítico este por querer fazer empréstimo de 2 milhões de reais com 2 anos de carência e prazo a perder de vista para o próximo pagar, que pode não ser esse atual. Nosso município hoje não tem credito nem para comprar pão, o combustível já foi cortado 3 vezes por falta de pagamento, os credores estão revoltados por falta de pagamento e agora essa administração querendo fazer dívida para outro pagar. No plano de Governo foi dito que iria acabar com a taxa de iluminação pública usando recursos próprio, ou seja, recursos da própria administração, dentro do mandato, não informa que seria feito empréstimo gerando juros e encargos, comprometendo a máquina e gerando dívidas para outro pagar, isso na verdade é fuga de uma administração inoperante que muito prometeu e agora sente pressionada em fazer aquilo que está vendo que não vai conseguir, balela de político que conheço muito bem.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *