TRINCHEIRAS – Por José Nilson*

O autor do Evangelho de Mateus no capítulo 12, versos de 1 a 4, escreveu: Naquele tempo, Jesus passou por uns campos de trigo, num dia de sábado. Seus discípulos ficaram com fome e começaram a pegar espigas para comer. Vendo isso, os fariseus disseram: Eis que teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado! Jesus perguntou aos fariseus: Vocês nunca leram o que Davi e seus companheiros fizeram, quando estavam sentindo fome? Como ele entrou na casa de Deus, e eles comeram os pães oferecidos a Deus? Ora, nem para Davi, nem para os que estavam com ele, era permitido comer os pães reservados apenas aos sacerdotes.

Para dizer: O ponto de partida de Jesus é a vida, para Jesus a defesa da vida é mais importante do que a aplicação da Lei. Lei é imposição que não leva em consideração o lado de quem deve obedecer, Lei é domínio e controle, por isso Jesus não a absolutiza, pelo contrário, Ele mostra que o limite da Lei é a vida.

Essa foi e é a causa de Jesus, quem lhe é fiel enfrenta muita resistência, especialmente de pessoas legalistas, grupos que valorizam mais a Lei do que a vida, estes são os opositores do Reino de Deus, os inimigos da Cruz de Cristo. Por causa do apego demasiado à Lei, se tornam instrumentos de morte, asquerosos, frios e suicidas. Jesus por sua vez é manso e humilde de coração, o suficiente para fazer Deus absoluto em sua vida, por isso não traz consigo essas características, Jesus quer a misericórdia e não o sacrifício.

Jesus inaugura um tempo de combate entre carne e espírito, amor e ódio, humildade e soberba, morte e vida. De que lado nós estamos? Do lado fa corda ou do pescoço? Nossas palavras e sobretudo nossas atitudes dão a resposta. Temos que lutar contra nossa relatividade, nossas variáveis, particularidades, nosso fórum íntimo.

Os discípulos fizeram de Deus o absoluto, por isso fizeram no sábado o que somente os sacerdotes podiam fazer, quem faz Deus absoluto em sua vida, se torna livre diante da Lei. Antes obedecer a Deus do que aos homens. Para Jesus a Lei é divina quando usada para defender a vida, caso contrário se torna maldita. Em Mateus 9, 13, Jesus diz: Aprendam, pois, o que significa: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício.

Porque eu não vim para chamar justos, e sim pecadores. A justiça do Reino é inseparável da misericórdia. Jesus acolhe, se mistura com os rejeitados que os sepulcros caiados que se alto proclamam santos e imaculados, julgam maus e assim os excluem e expulsam da mesa onde é servido o banquete da hipocrisia do mundo paralelo dos tidos por perfeitos e honestos.

– Por uma sociedade sem males –

  • José Nilson se declara, Sacerdote, profeta e rei.
  • * Os texto é de inteira responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do jornal
Esta matéria foi visualizada171 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *